Conheça

Por que e para que criamos a Plante?
O desejo de expandir a autonomia, auto-responsabilidade e simplicidade no cuidado com as Águas nos move há 10 anos na produção de produtos biodegradáveis e em ações educativas para difundir conhecimento sobre a Água e ampliar a consciência de nosso papel no planeta.
Somos Água. Temos mais de 70% de Água no corpo, na mesma proporção que corre pelo Planeta. Ela está presente 24 horas no nosso dia: no gole que sacia a sede, no alimento que nos nutre, no banho que refresca, no ar que respiramos, no fluxo das nossas emoções e sentimentos. Sem ela não teríamos vida.
O que as Águas representam?

O que somos dentro, somos fora. Em um olhar mais subjetivo, as Águas representam nossos sentimentos, nossa oportunidade de olharmos para quem somos e nos percebermos como seres no caminho do autoconhecimento e evolução. Dificilmente conseguiremos cuidar das Águas fora se não tivermos um foco nas Águas dentro, se não estivermos sensíveis ao nosso próprio papel enquanto seres humanos nesse planeta. A proposta é aprofundar esse olhar para as Águas dentro, para nossas emoções e sentimentos, com foco no autoconhecimento, pois se nos aprofundamos no autoconhecimento, se criamos uma relação harmônica com o que nos passa dentro, também cuidaremos dos nossos mananciais.

A Água é muito mais do que um recurso. A cada gota de Água temos a possibilidade de nos limpar, de nos purificar, de deixar ir o que já não queremos, de retomar o fluxo da vida.

A Água tem memória e irradia informações, toda intenção ou energia colocada nela é espalhada pelo todo. Por isso, deixamos aqui também nossa intenção de inspirar e despertar a consciência de cada um em relação ao cuidado e preservação das Águas, tanto das Águas de dentro quanto das Águas de fora.

O que são produtos biodegradáveis?

São produtos que sistemas de tratamento feitos com plantas e microorganismos possam degradar, de maneira que a Água volte limpa para o lençol freático. Sabe-se que a contaminação química gera muito mais impactos negativos do que a contaminação biológica, tanto em relação ao meio ambiente quanto em relação ao corpo humano. Isso acontece, principalmente, devido à imprevisibilidade das consequências geradas pelas combinações dos elementos químicos que são despejados na Água. 

De forma geral, desconfie dos ingredientes que estão no final, que contém números, parabenos, triclosan, EDTA, lauryl éter sulfato de sódio, etc. Esses são ingredientes que em geral são nocivos para nosso corpo e para o ambiente.

O ideal é que tudo que coloquemos na nossa pele e ambiente seja biodegradável. A máxima disso é: só coloque no seu corpo o que você puder ingerir, porque, de fato, o que colocamos na nossa pele vai direto para corrente sanguínea.

 Se há menos de 50 anos era comum limpar tudo apenas com sabão, cujo feitio era sabido por qualquer mulher do campo, hoje temos muitas ofertas de produtos supostamente elaborados que ilusoriamente limpam diferentes partes do nosso corpo e da nossa casa. Perdemos o gosto pela simplicidade e a noção de quão poluentes e nocivos podem ser os produtos industrializados. Somos movidos pela vaidade e nos desconectamos das consequências que isso pode trazer. Somos chamados de volta à reflexão e ao poder da ação: o que é mais forte, nossa consciência ou nossa vaidade?

Escrevemos Água com a primeira letra maiúscula porque a consideramos como um organismo vivo, um ser de direitos. Em 1992 a Organização das Nações Unidas (ONU) promoveu a Declaração Universal dos Direitos da Água que tem no artigo 2º:
“A Água é a seiva do nosso planeta. Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. O direito à Água é um dos direitos fundamentais do ser humano: o direito à vida, tal qual é estipulado do Art. 3º da Declaração dos Direitos do Homem”.